Para garantir a segurança na Olimpíada, tropas das Forças Armadas iniciam, neste sábado (9), ocupação das principais ruas, ferrovias, rodovias e orla do Rio de Janeiro.

Nesta sexta-feira (8), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanhou o treinamento final de 2.215 militares da Brigada de Infantaria Pára-quedista, situada na Vila Militar, em Deodoro, no Rio de Janeiro (RJ).

A brigada é a tropa de elite do Exército Brasileiro e poderá ser empregada em situação de emergência extrema, bem como em pontos de grande circulação de pessoas.

Segundo o ministro, nos próximos dias a capital fluminense já terá os cerca de 22 mil militares que estão sendo deslocados de diversos pontos do País. Segundo ele, até o dia 24 de julho, o Rio terá a totalidade do efetivo a ser utilizado no evento.

O grupo paraquedista representa quatro brigadas olímpicas que atuarão nos Coordenações de Defesa Setoriais (CDSs) da Barra, do Maracanã e de Deodoro. Esses militares ocuparão ruas, passarelas e estruturas consideradas estratégicas para a realização da Olimpíada. Nessa operação, que começa no sábado, os militares contarão com o apoio do blindado Guarani, carro de combate do Exército. A orla da Zona Sul carioca ficará por conta da Marinha.

Estratégia para os Jogos

Jungmann assegurou que o governo brasileiro vem mantendo contato com 106 centros de inteligência no exterior. Segundo o ministro, nenhum deles apontou qualquer possibilidade de atentado terrorista.

Ele explicou ainda que o Brasil terá ligação on-line com os computadores dos principais países e, com isso, permitirá o acionamento dos dispositivos de segurança caso recebe informação de movimentação de grupo terrorista.

"“Estamos a 28 dias do evento que será o mais visto e mais amplo do mundo, que será realizado no Rio e em outras cidades brasileiras. Vocês são a garantia junto à Marinha e à Força Aérea de que essa Olimpíada acontecerá em paz e com segurança. Vocês representam a tropa de elite, que vai assegurar que os jogos transcorram com alegria e, desse modo, possamos mostrar ao mundo a nossa capacidade de organização"”, afirmou.

O ministro disse também que o País será implacável com qualquer pessoa que for descoberta querendo manchar a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.