O Conselho de Segurança da ONU começará a trabalhar em “medidas” em resposta à realização de um teste nuclear que a Coreia do Norte diz ter realizado nesta quarta-feira (6), segundo um comunicado divulgado após reunião em Nova York.

“Os membros do Conselho de Segurança condenam fortemente este teste, que é uma clara violação das resoluções (…) do Conselho e da não-proliferação do regime, e assim uma clara ameaça para que a paz e a seguranla internacional continuem a existir”, diz o presidente do Conselho, Elbio Rosselli, em comunicado.

O Conselho realizou nesta quarta uma reunião de consultas de emergência em Nova York com os embaixadores dos 15 países membros, solicitada pelos Estados Unidos e pelo Japão.

“Os membros do Conselho de Segurança… lembraram que já expressaram antes sua determinação para tomar mais medidas significativas no caso de outro teste nuclear da DPRK (Coreia do Norte)”, diz a nota. “Na linha deste compromisso e da gravidade dessa violação, os membros do Conselho de Segurança vão começar a trabalhar imediatamente em tais medidas em uma nova resolução”.

A Coreia do Norte afirmou ter realizado com sucesso seu primeiro teste de bomba de hidrogênio, muito mais potente que a bomba atômica, mostrando que o regime segue com seu programa nuclear, apesar da proibição da comunidade internacional.

Várias resoluções da ONU proíbem a Pyongyang qualquer atividade nuclear sob a pena de ser alvo de sanções.

Reações

O anúncio foi recebido com grande ceticismo por especialistas, ao mesmo tempo em que provocou várias condenações imediatas ao redor do mundo.

Segundo informou o embaixador britânico Matthew Rycroft, o Conselho de Segurança considera impor novas sanções contra a Coreia do Norte. “Trabalharemos com outros [países] em uma resolução com mais sanções”, afirmou o embaixador Matthew Rycroft à imprensa.

Segundo Rycroft, Estados Unidos, Japão e outros integrantes do Conselho de 15 membros estão trabalhando em um projeto de resolução que condena energicamente o teste anunciado por Pyongyang.

“Não temos informação sobre o tipo de artefato testado”, disse Rycroft, que acrescentou: “qualquer teste nuclear é uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU”.

Potência

Uma bomba de hidrogênio, ou termonuclear, utiliza a técnica da fusão nuclear e produz uma explosão muito mais potente que uma deflagração por fissão, gerada apenas por urânio ou plutônio.

Pyongyang testou em três oportunidades a bomba atômica A, que utiliza a fissão nuclear, em 2006, 2009 e 2013. Os testes resultaram em várias sanções internacionais.